Lotus Exige 2004 by AUTOart


Originada pelo bem sucedido Lotus Sport Elise racecar, a primeira geração do Exige foi apresentada em 2000. Em 2004 é apresentada no Salão de Geneva, a segunda geração do Exige que manteve a filosofia de “carro de competição para a estrada” encontrada na génese dos seu predecessores.


Inicialmente construído de forma artesanal e em pequenas séries para um número limitado de mercados, o Exige série 2 resulta da aplicação dos valores base da primeira geração num projecto da Lotus Design Team liderada por Russell Carr.


Com uma performance e condução fenomenais, propulsionado por um motor Toyota de 1.8 litros com uma potência máxima de 192cv e um binário máximo de 181nm, o Exige atinge os 100km/h em 5.2 segundos e uma velocidade máxima de 237km/h. 
Tendo de série tracção traseira, caixa manual de seis velocidades e discos ventilados às quatro rodas, as alterações de design no deflector dianteiro, no tejadilho em fibra-de-vidro com entrada de ar, na tampa do motor e aileron, visavam um aumento significativo na força descendente.


Sendo um verdadeiro sports coupe, o motor situa-se atrás do cockpit e à frente das rodas motrizes traseiras. A potência é originada pelo motor 2ZZ-GE de 1.8 litros, 4 cilindros, 16 válvulas VVTL-i (Variable Valve Timing and Lift-Intelligent) comandado por uma caixa de 6 velocidades C64. A combinação motor / transmissão fornecidos pela Toyota, foi considerada a ideal para o Exige e perfeita no âmbito da filosofia de marca Lotus.
Para que este motor comportasse o DNA da Lotus, foi desenvolvido de base e especificamente para o Exige, o software do sistema de gestão de motor (EMS) Lotus T4. Este EMS e a sua exaustiva afinação garantiu uma performance única, adequada a uma condução desportiva tanto em estrada como em pista.


Logicamente que o Exige não foi desenvolvido para uma excelente performance apenas em linha recta. Este é afinal um dos carros mais rápidos e seguros a levar-nos de A a B. Factor chave para esta performance é a componente aerodinâmica, criando 41.2kg de força descendente aos 160km/h (19.3kg à frente e 21.9kg atrás). Este rácio de 47% à frente e 53% atrás é obviamente constante, seja qual for a velocidade que o Exige atinja.
Este desempenho aerodinâmico é obtido recorrendo aos seguintes factores: Fundo completamente plano, difusor traseiro (ajuda a promover o efeito Venturi por baixo do carro), deflector dianteiro que se encontra a apenas 108mm do chão, asa traseira fixa, posicionada num ângulo de 11.5 graus para conseguir o melhor compromisso entre força descendente e atrito.



LOTUS Exige 1.8 192cv 2004 – Especificações técnicas
Nº Cilindros:4L
Cilindrada:1796 cm3
Nº Válvulas: 16

Potência máxima:192cv @ 7800 RPM
Binário máximo:181 Nm @ 6800 RPM

Transmissão: Motor central / tracção traseira
Caixa: Manual 6 velocidades

Sistema de travagem (Frente/Trás): Discos ventilados (295 mm)
Pneumáticos(Frente/Trás): 225/45 R17

Dimensões
Peso: 875kg
Distância entre eixos: 230cm
Comprimento: 380cm
Largura: 173cm
Altura: 116cm
Eixo dianteiro: 146cm
Eixo dianteiro: 151cm




Modelo 1:18
Num elegante preto metalizado , o molde é claro e limpo sob qualquer perspectiva, e as várias aberturas, com grelhas perfuradas, revelam interessantes detalhes técnicos do automóvel. A abertura das portas recorre a umas estreitas “dogleg”, algo perfeitamente aceitável dado que uma solução tecnicamente superior faria disparar o preço não se traduzindo numa grande vantagem.
O interior é prototipicamente escasso , mas todos os detalhes importantes estão lá e bem representados, particularmente a imitação de Alcantara que encontramos no tablier e baquets.
Sob o capô bem detalhado, à frente do compartimento de bagagem devidamente forrado, encontramos o Toyota de quatro cilindros replicado de forma sóbria mas competente. 
No que respeita ao conjunto roda/discos, temos logo à partida as jantes que estando bem representadas são já originalmente muito bonitas. Discos e maxilas, bem como os pneus, estão bem reproduzidos, ao nível de um bom trabalho da AUTOart.
Globalmente, esta pequena peça traduz-se em mais um bom trabalho da marca, e não, não há qualquer erro de escala, não é um 1:24, é apenas a reprodução de mais um pequeno grande Lotus!
















































































  


0 comentários: